quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Frei Caneca


Frei Joaquim do Amor Divino Rabelo Caneca nasceu em Recife em 1779. Pertencia à ordem dos carmelitas e frequentou o seminário de Olinda, onde se diplomou em retórica e geometria. 

Grande orador, participou da Revolução Pernambucana de 1817, quando foi preso por quatro anos, ficando nas prisões do Conde dos Arcos, na Bahia. No ano 1823 fundou no Recife o jornal “Typhis Pernambucano”, cuja edição do primeiro número saiu no dia 25 de outubro do mesmo ano, fazendo séria oposição à dom Pedro I. 

Em 1824 foi um dos líderes da Confederação do Equador, um movimento separatista que eclodiu no nordeste brasileiro, com a participação das províncias de Pernambuco, Piauí, Ceará, Rio Grande do norte, Paraíba e Alagoas, tendo em Manuel de Carvalho Paes de Andrade seu principal líder. Esse movimento chegou a ter sua constituição, baseada no modelo da Colômbia, sua própria bandeira e a formação de uma República nos moldes dos Estados Unidos. 

No dia 28 de outubro do mesmo ano Frei Caneca viajou, em companhia do sargento-mor José Gomes do Rego, para o Ceará, província que havia proclamado a sua independência e escolhido como presidente Tristão de Alencar Araripe. Nesse tempo, soube da rendição de Pernambuco ao brigadeiro Lima e Silva. 
Alcançado por tropas do major Bento Lamenha Lins, Frei Caneca rendeu-se sem reagir. Foi levado para Recife, onde foi julgado pela comissão militar, sendo condenado à morte por enforcamento. Não havendo quem lhe servisse de carrasco, foi fuzilado no dia 13 de janeiro de 1825, na praça fronteiriça à Fortaleza dos Cinco Pontos. 

Em 1875 foram publicados seus trabalhos pela Assembleia Legislativa de Pernambuco, coletados por Antônio Joaquim de Melo. Dentre suas obras destacam-se: “História da Província de Pernambuco”, “Dissertação sobre o que deve entender por Pátria de um cidadão e deveres deste para com a mesma Pátria” e “Cartas de Pítia e Damão”.  

Bibliografia:  
ENCICLOPÉDIA Brasileira Globo. 13ª ed. Vol. III. Porto Alegre, Globo, 1974. 
ROSA, Prof. Ubiratan. Moderna Enciclopédia Brasileira. Vol  I, pág. 140. São Paulo, G. Lopes Ltda., 1979.
CARVALHO, Geraldo Magela de. Atlas Ecos de Biografias, pág. 8. João Pessoa, Ecos, 1977.   

(Texto: Eliza Ribeiro - Taperoá - PB) - Foto: internet)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário